Exposição virtual aborda manifestações da população negra em Salvador

O site e a exposição virtual Memórias de Resistências Negras, do Arquivo Afro Fotográfico Zumví, já estão disponíveis para visitação por meio do site www.zumvi.com.br . O acervo registra, há cerca de 30 anos, as manifestações do movimento negro e o cotidiano dos afrodescendentes em diversas temáticas e contextos populares.

A exposição virtual disponibiliza 55 imagens que abordam temas de importantes momentos da história e trajetórias do movimento negro: Militantes Falecidos do Movimento Negro Unificado (MNU), Nelson Mandela na Bahia, Política de Ações Afirmativas, Grupo de Mulheres MNU, Manifestação Contra Intolerância, Quilombo Rio das Rãs, Marcha Contra o Genocídio do Povo Negro e Três Grandes Pautas. O nome – “Zumvi” – foi criado a partir de “Zum”, da lente, e “VI”, do olho. “É a capacidade da lente Zum de buscar a realidade que está longe, para perto”, pontua o projeto.

O Zumví é um dos projetos contemplados pelo Prêmio Anselmo Serrat de Linguagens Artísticas, da Fundação Gregório de Mattos (FGM), por meio da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, com recursos oriundos da Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal.

Origem 

O projeto surgiu nos anos 1990 pelas mãos dos fotógrafos Lázaro Roberto, Ademar Marques e Raimundo Monteiro – três jovens negros das periferias de Salvador comprometidos com o registro das atividades culturais e políticas e com a produção de imagens da cultura afro-brasileira. Com o lema “Fotografar hoje para o futuro”, os jovens produziam fotografia documental, ou fotojornalismo, criando um “Quilombo Visual”, uma afro maneira de registrar e criar um arquivo de memórias imagéticas dos negros.

Morador do bairro da Fazenda Grande do Retiro, o idealizador do Zumví, Lázaro Roberto, destaca a própria experiência quando começou a dar os primeiros passos no mundo da fotografia, na década de 1970, por meio do grupo de teatro e do movimento negro. “Nos anos 80, eu já fotografava nas periferias e nas festas populares de Salvador. Enquanto fotografo negro e oriundo de um bairro periférico, não existiam fotógrafos negros no qual eu pudesse me espelhar. Dentro dessa trajetória eu venho trabalhando pela afirmação da cultura negra em Salvador”, relata.

Aquisição 

Os interessados em adquirir fotografias do acervo podem enviar e-mail no endereço eletrônico contato@zumvi.com.br, ou deixar uma mensagem no WhatsApp (71) 99137-7814.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: